sexta-feira, 27 de maio de 2011

Atenção: Cuidados ao Comprar uma Orquídea

Quem veio primeiro: o ovo ou a galinha? Essa pergunta feita pelo pensamento humano ao vislumbrar suas origens e tentar achar as respostas para as coisas que nos rodeiam veio-me à mente pensar sobre o que é mais importante na hora de comprar uma orquídea> a flor ou a planta em si.

Embora isso seja inerente a cada pessoa, podemos encontrar no meio orquidófilo aqueles que escolhem suas plantas pelas flores e aqueles que o fazem pela aspecto da planta. Lógico que até mesmo os mais experientes rendem-se diante de uma belíssima flor, mas isso ocorre principalmente com os principiantes, cuja ansiedade por plantas floridas parece mais exacerbada que os mais antigos.

Numa das primeiras exposições que estive, estava lá eu a admirar e sentir o aroma das plantas que pretendia comprar, quando uma conhecida aproximou-se e começou a colocar um monte de defeito, apontando as manchas nas folhas, etc. etc. etc. Lógico que aquilo me deixou cabisbaixo, mas aprendi uma grande lição com essa amiga: que uma galinha é bem maior que um ovo e ainda pode me dar vários ovos. Ou seja, na hora de comprar uma orquídea, temos que pensar na capacidade que esta tem de reproduzir-se e dar-nos mais flores nas floradas futuras.

Com tantas exposições no território nacional todos os anos, os orquidários comerciais precisam fazer o cultivo em larga escala, e também necessitam de fornecedores terceirizadas (orquidários menores) para dar conta dos pedidos. E é assim que o comprador fica exposto ao perigo.

Com todo esse fluxo de plantas, um orquidário de bom nome, pode adquirir lotes oriundos de orquidários menores, que podem conter pragas e outros elementos prejudiciais ao orquidário. Como esse é um negócio onde as plantas floridas têm mais valor que as sem flor, eles vêem-se obrigados a aplicar uma infinidade de defensivos, fungicidas, sem contar nos hormônios e combinações de NPK, para que elas floresçam o ano inteiro, favorecendo assim o aparecimento de pragas quando estas deixam o recinto do orquidário.

Quem de nós nunca comprou um orquídea que, logo após a floração passar, começa a definhar e morre, mesmo depois de todas as nossas tentativas de salvá-la? Alguns chegam até a pensar que trata-se de olho gordo, mas não é não. Isso ocorre devido à mudança da planta de um ecossitema equilibrado para um outro, favorecendo assim o aparecimento de pragas já existentes dentro do vaso ou no ambiente.

Antes de comprar uma planta, verifique as disposição e coloração das raízes. Lógico que você não deve sair arrancando as plantas dos vasos durante exposição, mas pode verificar a condição radicular pela parte superior da planta ou por sua área basal. Verifique também as folhas em busca de manchas amareladas ou escurecidas que não pertenção à espécie e gênero da planta. Você também pode remexer a parte superior do substrato, em busca de caracóis, lesminhas ou aqueles tatuzinhos de jardim.

Nunca compre uma orquídea pela flor apenas. As florações podem disfarçar diversas doenças existentes. E mesmo tomando todos esses cuidados, ao chegar em casa, não coloque as plantas recém adquiridas com as demais. Deixe-as separadas para fazer uma higienização, pois elas ainda podem contem doenças não visíveis a olho nú.

Lave-as bem, utilizando uma escova de cerdas macias e sabão de côco ou misturá de óleo de nim com água. Se possível, replante em substrato novo, lavando as raízes cuidadosamente antes de colocá-las no novo vaso. Esses e outros cuidados evitarão que sua tão sonhada floração se torne uma dor de cabeça para todo o seu orquidário.

Um comentário:

Anônimo disse...

sempre compro no site www.mercadodaorquidea.com.br